Com�rcio e investimento chin�s e seus impactos sobre as florestas: Um estudo exploratório nas florestas de miombo

Com�rcio e investimento chin�s e seus impactos sobre as florestas: Um estudo exploratório nas florestas de miombo

A presença diplomática e econômica da China na África cresceu consideravelmente nos últimos anos. Desde a criação do Fórum de Cooperação China-África (FOCAC) e os esforços para fortalecer as relações diplomáticas, culturais e econômicas com os países africanos ao rápido crescimento do Investimento Estrangeiro Direto (IED) chinês e do comércio bilateral, é provável que esta relação continue a desempenhar um papel determinante nas economias africanas. Estas tendências são importantes para os países africanos que veem essa relação como uma oportunidade para catalisar investimentos muito necessários em infraestrutura e na indústria, a fim de estimular a criação de empregos e as exportações, bem como para contrabalançar a influência histórica das nações ocidentais. No entanto, a observada falta de transparência na diplomacia sino-africana (e condicionalidades de empréstimos relacionadas) e a menor preocupação com os impactos sociais e ambientais entre os investidores chineses têm levantado preocupações sobre os riscos potenciais desta parceria emergente. Na ausência de uma forte evidência sobre a singularidade das relações diplomáticas e econômicas chinesas em países específicos da região e os impactos relacionados, é impossível avaliar as oportunidades e riscos colocados pela crescente influência da China na região. Este relatório, e o projeto mais amplo no qual ele está inserido, tem o objetivo de lançar luz sobre este debate, analisando a influência chinesa no setor florestal na Bacia do Congo e em países com floresta de miombo. Através de uma análise comparativa dos padrões de ajuda, comércio e investimento com chineses e outros “parceiros de desenvolvimento” e suas implicações sociais, econômicas e ambientais para setores-chave que moldam as florestas africanas (agricultura, silvicultura, mineração), o projeto tem como objetivo explorar as nuances por trás da emergente parceria sino-africana. Para este fim, este relatório explora as relações diplomáticas e econômicas entre a China e três países com floresta de miombo (Moçambique, Zâmbia e Zimbábue). A ênfase é colocada na identificação de padrões-chave do comércio sino-africano e do investimento em setores de interesse, como um meio para identificar as tendências de importância para as florestas e explorar temas-chave para uma pesquisa mais aprofundada. Os resultados iniciais sugerem que, embora a ajuda chinesa, o comércio e os investimentos estejam desempenhando um papel importante e muitas vezes decisivo em setores de interesse, o nível e o modo de influência – e os impactos esperados sobre as florestas – variam consideravelmente entre os países e setores. O relatório também destaca as diferentes opções de compromissos que muitas vezes acompanham as atividades de operadores estatais e não estatais, de pequena e grande escala.

Authors: German, L.; Schoneveld, G.; Wertz-Kanounnikoff, S.; Gumbo, D.

Topic: trade,investment,forests

Geographic: Africa,Miombo

Series: CIFOR Working Paper no. 130

Pages: 60 pages

Publisher: Center for International Forestry Research (CIFOR), Bogor, Indonesia

Publication Year: 2013

DOI: 10.17528/cifor/004406


Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Altmetric score:


Export Citation

Related viewing

Top